Itaoman
Babatunde Oberefun Si Okojumide
Payé Piron
(Ivan Horacio Costa)
(1937)


( Vou ler depois )



Mestre Itaoman e seu Espelho Mágico VirtualItaoman é natural da cidade do Rio de Janeiro, sendo atualmente o Decano dos Mestres de Iniciação da T.U.O. (Tenda Umbandista Oriental) fundada por W. W. da Matta e Silva. É um dos principais teóricos do Esoterismo de Umbanda seguindo, também como escritor, as pegadas de Mestre Yapacani que o consagrou como Mestre da Umbanda Esotérica em 1970, após sete anos de estudos, práticas, iniciação e vivência ritualística da T.U.O., decorridos desde 1963.
        Entretanto, suas obras diferenciam-se das demais obras de seus Irmãos-de-Fé, também escritores, por sempre dar mais ênfase ao embasamento antropológico, sociológico e histórico subjacentes aos assuntos por ele expostos (quase sempre um dos ramos do conhecimento umbandístico pouco sistematizado antes dele), do que à explanação mística de assuntos que seu Mestre Yapacani já tão bem tinha elaborado e divulgado.
        Em 1968, por ordem de seu Mestre Yapacani, fundou o primeiro Terreiro de Umbanda Esotérica da Linha da T.U.O. na cidade de São Paulo e, em 1970, juntamente com mais seis companheiros/as, também fundou o Círculo de Estudos Umbandísticos e a Ordem do Círculo Cruzado, cujo registro civil data de 1972 e da qual é o Mestre Presidente Vitalício.
        A partir de 1977, foi sagrado Mestre de Iniciação de Sétimo Grau e imediatamente liberado por Mestre Yapacani para que pudesse aprofundar os estudos sistemáticos sobre a Divinação Sagrada de Ifá que com ele iniciara. Dispensado, pois, dos Trabalhos Ritualísticos da T.U.O., passou a estudar junto a diversos outros Mestres e Babalaôs, tornando-se primeiramente um Akisa e, em 1986, um Baba Li Awo do Orisa Orunmila-Ifa, ou seja, um Pai do Segredo do Orixá Orunmila-Ifá, o Senhor dos Destinos Humanos.
        Em sua vida civil foi joalheiro, teve formação publicitária, exerceu atividades em administração de Turismo, Informática e Desktop Publishing, tendo sido, à partir de 1995, Webmaster do Site da Riotur, escrendo e editando sobre turismo. Atualmente aposentado, continua sendo o autor intelectual e o Webmaster deste Site, o qual foi pioneiro em sua publicação em 1994, mas que por motivos alheios à sua vontade, esteve "off-line" desde 2004 (com 140.000 visitantes), retornando agora em sua sexta versão.
        Escreveu quatro extensas obras umbandistas e esotéricas, duas delas já publicadas:


( Vou ler depois )


PEMBA, A GRAFIA SAGRADA DOS ORIXÁS
(Mestre Itaoman) (1990)

Publicado pela Editora Thesaurus
SIG - Quadra 8 - Lote 2356
CEP 70160 - Brasília - DF Tel.: (061) 344-3788 e Fax: (61) 344-2353

Capa do livro:  Pemba - A Grafia Sagrada dos OrixásEste livro, em suas 317 páginas, nos esclarecerá que:
        A Pemba é um giz mineral incolor que desde a mais alta antiguidade, é usado em pinturas rituais de corpos humanos e em paredes de cavernas, bem como é o "veículo" ideal, por ser insípido e inodoro, dos remédios da medicina alternativa de diversos povos antigos que insistimos em chamar de "primitivos" por não obedecerem ao nosso padrão científico que, entretanto, também ainda o usa como "excipiente" em "modernos" medicamentos.
        Em África, entre os Sudaneses Iorubás, este giz era conhecido por Efun e seu pó, misturado às folhas medicinais, era também usado em muitas das Ofo, que aqui podemos traduzir por Reza Forte, as quais eram parte integrante da medicina psico-somática natural deste povo. Os signos gráficos (grafia sagrada) dessas Ofo eram sacralizados sobre tabuleiros especiais de madeira e refletiam os Conhecimentos da Tradição Oral Ancestral dos Iorubás.
        Continuou a ser usado, também no Brasil, para marcar o rosto e a cabeça raspada dos noviços iniciantes nos Cultos Afros, muito mais como uma lembrança das cicatrizes individualizantes de cada Nação Africana do que em lembrança de seu real valor esotérico, que era o de representar pelas três cores tradicionais africanas (branco, preto e vermelho), respectivamente, os princípios do Iwa (existência), do Aba (consistência) e do Ase (realização) que regem cada vida humana, no contexto religioso iorubano.
        Com a desestruturação da cultura negra, causada pelas guerras intestinas em África e pela escravidão no Brasil, tal sistema de signos gráficos perdeu-se do conhecimento religioso público e ficou restrito a alguns poucos iniciados, sendo transmitido oralmente de pai para filho, com as conseqüentes perdas de valores iniciáticos que são fáceis de se imaginar nessa dada situação.
        Mas, mesmo na maior adversidade da escravidão, não se perdeu no seio dos cultos precursores da Umbanda, o sentimento de que através da Efun ou Pemba podia-se entrar em contato místico com o Orum, a Terra Sagrada do Além de seus antepassados. E, assim, um simples pedaço de giz mineral, mesmo cercado do maior respeito místico, passou a ser, ele próprio, apenas o símbolo máximo de todos os outros símbolos que com ele eram riscados. O significado do restante dos símbolos, foi-se perdendo ao longo do tempo.
        No livro em pauta - PEMBA, a Grafia Sagrada dos Orixás - através de uma exposição didática, coerente e sobretudo prática, reaviva-se esse conhecimento dos antigos Babalaôs africanos e coloca-se à disposição dos atuais umbandistas e estudiosos dos Cultos Afros farto material de pesquisa e consulta para que eles alcançem, certamente não todas, talvez ainda incompletas, porém o máximo de respostas coerentes e documentadas do uso da Grafia Sagrada dos Orixás no passado ancestral.
        Não é um tema fácil, mas certamente é fascinante !!!


( Vou ler depois )


IFÁ, O ORIXÁ DO DESTINO
O Jogo do Opon e do Opele Ifa
(Mestre Itaoman) (1995)

Publicado pela Ícone Editora Ltda.
Rua das Palmeiras, 213 -Sta. Cecília - CEP 01226-010 - São Paulo - SP
Tels. (11) 288-9206 / 289-3520 Fax.: (11) xxxxxxx

Capa do livro:  Ifá, O Orixá do DestinoO livro IFÁ, O ORIXÁ DO DESTINO - o Jogo do Opon e do Opele Ifa nas suas 280 páginas, responderá à muitas perguntas, tais como:  Haverá meio para realizar o Destino do Ser Humano?  Existirá mesmo um Destino Individual?  Ou será a Vida um Jogo?
        Há milênios que a Humanidade se atormenta com estas perguntas. Para respondê-las, os Egípcios afirmavam haver recebido de seus Deuses, o Tarot; os Mesopotâmicos, a Astrologia; os Chineses, o I Ching; os Gregos, a Geomancia; os Celtas, as Runas e, os Nagos do Brasil, os Búzios.
        Assim, também os antigos sacerdotes africanos da Civilização Iorubá (Nagos) - os Babalawos - afirmavam que a sua Divindade do Destino lhes havia ensinado uma resposta própria para aquelas importantes questões: o Jogo do Opon e do Opele Ifa, nos quais o Jogo dos Búzios brasileiro tem sua vera origem.
        E é isto que se busca estabelecer neste livro: como se processava a resolução dos problemas existenciais humanos, quando vistos pelo prisma de uma autêntica civilização autóctone africana, velha de mais de um milênio quando, por fatalidade histórica, entrou em contato com a civilização européia.
        E, assim, logo se impõem dois novos esclarecimentos:

1) O quê o Sistema Divinatório Ifá tem em comum com o Tarot, o I Ching e a Geomancia?
A resposta é simples: como os dos outros, os seus conceitos vaticinatórios são universais e aplicáveis a todo o ser humano, em qualquer tempo e lugar!

-"Ifá diz que devemos fazer as coisas pouco a pouco!
Que não se debocha do sofrimento alheio!
Que pobreza não é motivo para brincadeiras!

 
Seja de que civilização fôr, não há quem não reconheça nesses versos oraculares as implicações de prudência, piedade e civilidade!
 
2) O quê tem a haver este sistema oracular ancestral com a atualidade?
Outra vez, é simples: o subjacente sistema matemático que rege a sua manipulação é essencialmente tão binário e dinâmico quanto a moderna computação !

         Assim, proponho que os religiosos e pesquisadores dos Cultos Afro-Brasileiros dispam-se de preconceitos raciais e religiosos, de qualquer origem, para ler este livro, sobretudo, elucidativo. E, ao lê-lo, talvez venham a ter uma surpresa, verificando que por debaixo de uma tez negra, de uma carapinha espessa e de um largo nariz achatado, além de sentimentos, inteligência, arte, amor e música, existiu e existe uma Sabedoria Espiritual e Esotérica voltada para o Ser Humano e que merece ser rediviva por ser universal, atemporal e misericordiosa!

 Retornar